“Culinária com IG” aproxima chefs e produtores paranaenses

Receitas com produtos detentores de Indicações Geográficas foram apresentadas durante a cerimônia do Prêmio Bom Gourmet, em Curitiba

Crédito: Regis Santos/Sebrae/PR

Oferecer pratos com ingredientes regionais que contam histórias e aproximar os chefs de cozinha dos produtores de alimentos de todo o Paraná. Essa foi a proposta da primeira ação da campanha Gastronomia Origens Paraná, promovida pelo Sebrae/PR, na noite dessa terça-feira (27), em Curitiba. As receitas foram apresentadas durante a cerimônia do Prêmio Bom Gourmet, da Gazeta do Povo, que traz os destaques da gastronomia curitibana.

Segundo o diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, a proposta aproxima o público de chefs, de produtores paranaenses e valoriza alimentos típicos e reconhecidos com o registro de IG.

“Foi uma ação que trouxe visibilidade para o trabalho que estamos realizando. Os produtores realizaram novos contatos e encaminharam negócios com os chefs presentes.  Já os chefs mostraram que é possível valorizar os produtos regionais com pratos de alta qualidade”, explicou.

Crédito: Regis Santos/Sebrae/PR

Ao todo, chefs consagrados de quatro restaurantes curitibanos que possuem o Selo de Qualidade no Turismo do Paraná prepararam pratos exclusivos com produtos que possuem ou estão pleiteando os registros de Indicações Geográficas e integram o movimento Origens Paraná, de valorização aos produtos locais.

Os chefs Rafael Fusco e Lucas Cintra, do Ostra Bêbada, prepararam ostras gratinadas com queijo colonial de Witmarsum; Paulo Hruschka e Giovane Ramos dos Santos, da Tartuferia San Paolo, fizeram um tambaqui em textura de erva-mate de São Mateus do Sul e aioli de trufas, Jorge Tonatto, do Bar do Alemão, serviu Confit de marreco com molho de mel do Oeste do Paraná e laranja, repolho roxo e purê de maçã;  Delio e Renata Canabrava e Rafael Gonçalves, da Cantina do Délio, prepararam um sorvete de queijo com calda de goiaba de Carlópolis e uma batida de cachaça ouro de Morretes com coco e abacaxi.

Crédito: Regis Santos/Sebrae/PR

O chef Rafael Fusco conta que já utiliza o queijo de Witmarsum desde 2014, antes da abertura do restaurante Ostra Bêbada, e reforça a importância de valorizar os produtos locais. “Esse é um trabalho que fortalece a nossa gastronomia. Todos esses são produtos artesanais que contam as histórias e os conhecimentos de famílias paranaenses que merecem ser ressaltados e preservados. A receptividade foi muito boa. Queremos continuar utilizando esses ingredientes locais e trazer para perto os produtores locais”, ressalta.

Andreia Cardoso, gerente comercial da Cooperativa de Witmarsum, afirma que o Ostra Bêbada foi o primeiro restaurante a utilizar o queijo colonial que possui o registro de Indicação Geográfica e que hoje já é vendido para os principais mercados do país. Segundo ela, a oportunidade de ter os queijos coloniais sendo utilizados pelos chefs em um grande evento é algo extremamente importante para a marca.

“É relevante estarmos próximos dos chefs porque podemos conversar com as pessoas, fortalecer nossa rede de contatos e levar o nosso produto para novos mercados. É uma grande satisfação ter o nosso trabalho reconhecido e alcançar essa grande visibilidade”, destaca Cardoso.

Crédito: Regis Santos/Sebrae/PR

O Origens Paraná é fruto do Programa de Desenvolvimento de Indicações Geográficas e Marcas Coletivas do Sebrae/PR e hoje conta com aproximadamente 50 integrantes que representam grupos de produtores e instituições (www.sebraepr.com.br/origensparana e https://comunidadesebrae.com.br/origensparana).